toze_marques

“Queremos atrair mais equipas para os campeonatos distritais”

Numa entrevista exclusiva ao Desportivo Transmontano e  Notícias de Vila Real (NVR), António José Marques, Presidente da Associação de Futebol de Vila Real (AFVR), fez o balanço à primeira volta da Divisão de Honra, analisou o desempenho das equipas transmontanas nos campeonatos nacionais de fute­bol, falou do crescimento do futebol feminino e destacou o desenvolvimento do futsal na região.

Concluída a primeira volta da Divisão de Honra, António José Marques reconheceu que o Montalegre é claramente a equipa mais forte, bem como aquela que “está em melhores condições para alcançar o título”. “Se retirarmos a distância pontual que o Mon­talegre tem para o segundo classificado, temos efectivamente uma Divisão de Honra competitiva, porque neste momento vários emblemas querem estar na discussão dos primeiros lugares. Mas de facto é reconhecível que o Mon­talegre se apetrechou com um conjunto de jogadores de grande nível, que lhe permite liderar o campeonato somente com vitórias. É claramente a equipa que está em melhores condições para vencer o campeonato”, referiu.

Sobre o possível regresso de mais emblemas à competição, o Presidente da AFVR mencionou que tem mantido alguns con­tactos para o regresso do Alijoense, por exemplo, mas para já ainda nada está confirmado. Mesmo assim, mostra-se optimista para que, na próxima época, o número de clubes presentes na Divisão de Honra seja maior. “Queremos que os clubes regressem à Divisão Honra, mas de uma forma sustentada. Seria para mim uma enorme satisfação colocarmos mais um clube nos campeonatos nacionais, e que não descesse nenhum que disputa o Campeonato de Portugal. Temos mantido conversações com o Ali­joense para o seu regres­so à competição mas ainda é cedo para confirmar. A nossa intenção enquanto Associação de Futebol é procurar que, ano após ano, a competição tenha mais clubes e se torne mais competitiva”, destacou.

“Críticas à arbitragem vão existir sempre”

Em relação ao tema da arbitragem, muitas equipas da Divisão de Honra, nas últimas jornadas, mos­traram-se bastante críticas quanto ao desempenho dos árbitros, situação que no entender de António José Marques sempre irá acontecer. Porque, segun­do ele, a arbitragem nunca vai agradar a todas as equi­pas. Porém, o dirigente prefere dar mais importância à nova vaga de árbitros que conseguiu recru­tar para a AFVR, aumentan­do assim a qualidade no sector. “As queixas sobre a arbitragem vão sempre existir. É uma questão que está associada ao futebol. Mas nesta época achamos por bem lançar uma nova vaga de árbitros e temos vindo a promover novos cursos porque entende­mos que, para haver dualidade no sector da arbitragem, é necessário existir uma maior base de recru­tamento. É claro que o lançamento de novos árbitros tem prós e contras. Con­tudo, estou convicto que o caminho que a arbitra­gem tem feito na AFVR tem sido de evolução. Temos um bom núcleo de árbitros que apitam nos Campeona­tos Nacionais e estou convencido que podem atingir um patamar de excelência neste sector”, disse.

Questionado sobre o desempenho das equipas transmontanas no Campe­onato de Portugal, António José Marques diz que Pedras Salgadas e Vila Real efectuaram uma primeira fase do campeonato fantástica, enquanto o Mondi­nense já era esperado que tivesse algumas dificulda­des. Todavia, apresenta-se confiante em relação à manutenção dos três conjuntos. “O Pedras Salgadas, Vila Real e Mondinense têm feito um trabalho fantástico nas suas séries. Neste último mês o Vila Real foi extremamente penalizado com o adiamento consecu­tivo de jogos. Parecia que estava a jogar a “Cham­pions” ou a “Liga Europa”, com jogos à quarta-feira e ao domingo. Isso prejudicou muito o Vila Real numa possível presença no play-off de promoção. Mas, por aquilo que tenho assistido do Campeonato de Portu­gal, o Pedras Salgadas e o Vila Real estão bem colo­cados para garantirem a manutenção. Em relação ao Mondinense, era expec­tável que tivesse dificuldades para permanecer na competição, mas tem demonstrado qualidade e capacidade para atingir o seu objectivo”, confirmou.

Chaves na I Liga? Era uma alegria para todos os transmontanos!”

Quanto ao percurso do GD de Chaves na Segunda Liga de Futebol, o dirigente desportivo referiu que seria uma enorme alegria para a região transmonta­na a presença do Desportivo no principal escalão de futebol. Contudo, reconheceu que o formato da prova não é o mais indicado para os clubes e apresentando uma sugestão pessoal alternativa. “Nas conversas que tenho mantido com o presidente do Chaves exis­te este sonho de colocar o Chaves no principal campeonato português. É um clube com um enorme historial e a nossa região merece ter uma equipa nesse escalão. Mas esta­mos cientes que a Segun­da Liga é uma prova muito competitiva e que se pauta pela regularidade. Quanto ao formato da competi­ção parece-me que não é o mais indicado e denoto que os jogos a meio da semana em nada beneficiam a ade­são do público aos está­dios. Para mim, o melhor formato seria dividir o cam­peonato pela regionalização em zona norte, centro e sul”, atirou.

Sobre o futebol feminino, que cada vez mais está a ganhar projecção nacional, António Marques realçou o papel que a AFVR tem feito em prol do crescimento da modalidade, e espera ver mais atletas transmonta­nas nas Seleções Nacionais. “Temos sido uma Associação de Futebol atenta à evolução do futebol femini­no em Portugal. Já tivemos no nosso distrito a Seleção Nacional a estagiar e o fee­dback do público foi muito positivo. É minha convicção que num futuro próxi­mo mais atletas oriundas da nossa região venham a marcar presença na Sele­ção Nacional. No início do meu mandato prometemos criar condições para que a modalidade cresces­se na região e como tal temos vindo a trabalhar nesse sentido”, relatou.

Por fim, o Presidente da AFVR abordou o futsal nacional e distrital, enaltecendo as “excelentes campanhas” do Valpaços Futsal e Amigos Abeira Douro na II Divisão Nacional, referindo que têm estruturas técnicas competentes que lhes permitem fazer um bom campeonato. Em relação à equipa de Futsal Femini­no do GD Chaves, António Marques acredita que no play-off de manutenção a equipa flaviense vai con­seguir a permanência. Já na AFVR, o presidente destacou o Campeonato Dis­trital de Futsal Masculino, que se encontra “ao rubro”. Para António Marques esta é provavelmente a prova na AFVR mais competitiva até ao momento, e segundo o mesmo é impossível “arriscar um favorito à conquista do título”.

 

 

Deixar comentário

Comentário

2 COMENTÁRIOS

  1. A culpa de não haver clubes é única e exclusiva dos dirigentes e de quem permitiu que estes se endividassem. Logo ai com culpas para a anterior direção, pois os clubes não pagavam, criavam divida e assobiavam para o lado.

    quem tem de ter plano para a formação são os clubes! Coordenador técnico, modelo de jogo, treinadores para por esse modelo em pratica, sabem o que isso é? pois de condições de trabalho não se podem queixar!

    A arbitragem está bem melhor que os clubes, fazem o que sabem e a mais não são obrigados…temos clubes que não jogam nada, não percebem nada do que fazem em campo, treinadeiros e curiosos, mas querem arbitros de Champions, que não errem uma única vez?? alguns treinadeiros choram se a cada jogo no face. TENHAM VERGONHA!!!

  2. Relativamente a esta entrevista pergunto:
    Mais equipas como? Eu dava me por contente ter estas equipas no campeonato e fazia todos os possiveis para elas se manterem. Qual o plano para conseguir mais equipas? Ir falar com os Presidentes de camara? Qual o plano para a formacao? Equipas vao aos nacionais 1 ano apenas. Estamos em Fevereiro e ja se sabe os campeos iniciaods vila real juvenis chaves e juniores ainda nao se sabe mas tudo aponta para o Flaviense.
    Esta AFVR prometeu muito mas esta pior do que a anterior direcao porque eles nao prometiam nada e tava tudo bem estes prometeram e nada fazem. Divisao honra nao tem interesse nenhum equipas todas elas fracas tirando o Montalegre resto parecem uma banda de musica.
    Arbitragem sem comentarios. Equipas que ganham Criticam o seu trabalho estantudi dito. Muitos apitadores que so querem gel facebook apitam jogos de manga curta com collans e poucos árbitros.
    O Chaves tenta a sua subida com trabalho apostando no homem certo Vítor Oliveira.

Comments are closed.