CNS (série A): Pedras Salgadas 2-0 Vilaverdense

0
188

O intervalo foi bom conselheiro

O Pedras Salgadas alcançou nova vitória no Campeonato Nacional de Seniores. Na receção ao Vilaverdense, a formação termal venceu por duas bolas a zero e mantém-se na liderança da fase de manutenção e descidas da Série A.

Após uma primeira parte com ascensão da turma visitante, o Pedras Salgadas efectuou no segundo tempo uma exibição de grande nível, ficando a sensação que o resultado final poderia ter ganho outros contornos.

O Vilaverdense apostou neste jogo, num modelo táctico onde conseguiu ter uma boa coesão defensiva, e potencializou o seu futebol ofensivo pelos corredores laterais através dos desequilíbrios de André Soares e Bruno Filipe. Porém, na primeira parte do encontro a equipa orientada por Nelito vai dispor de uma excelente oportunidade de golo, mas o remate de Paulo Oliveira esbarrou no poste esquerdo da baliza  de Rafael Albuquerque. O Pedras Salgadas sentia dificuldades em construir lances de ataque e viveu muito do poder de explosão de Gomis.

Contudo, o intervalo foi bom conselheiro para os aguiarenses e o técnico Carlos Guerra corrigiu posicionamentos na sua equipa, bem como promoveu a alteração de Tiago Mourão por Francisco.

Esta substituição foi determinante para o desfecho final do encontro, já que Tiago Mourão veio a proporcionar à equipa uma outra dinâmica ofensiva. O primeiro golo do encontro surgiu aos 48’, com o defesa Agostinho a cometer uma grande penalidade sobre Hugo Silva. No seguimento do lance o atleta do Vilaverdense viu o segundo cartão amarelo e o consequente vermelho. Na transformação do castigo máximo, Ramalho, abriu o activo.

Com mais um elemento em campo a turma da Vila Termal apostou numa circulação do esférico a toda largura do relvado o que obrigou o Vilaverdense a expor-se no capítulo defensivo.

Numa rápida jogada de contra-ataque aos 75’, Hugo Silva remata e o defesa Sandro na tentativa de cortar a bola para canto acaba de uma forma infeliz por a introduzir na sua própria baliza.

Com uma vantagem confortável de duas bolas a zero, o Pedras Salgadas não “tirou o pé do acelerador”, e continuou a criar inúmeras oportunidades para dilatar a vantagem na partida. Mas quer Gomis, quer também Hugo Silva mostraram-se bastantes perdulários no aspecto da finalização.

Luís Miguel Roçadas (Texto)

José Sousa (Foto)

Deixar comentário

Comentário