André David: “Gosto de projectos aliciantes”

0
480

O jovem treinador aguiarense, André David, foi o convidado do espaço da “Grande Entrevista” do programa “Grande Área” que vai para o ar, todos os sábados na Rádio Clube Aguiarense.

Aos 28 anos de idade, André David acaba de se tornar campeão da Divisão de Honra AF Coimbra, ao serviço do Oliveira do Hospital levando a formação de novo aos campeonatos nacionais. ” O nosso campeonato na AF Coimbra foi muito competitivo. Conseguimos fazer uma época fantástica. Tive a oportunidade de trazer para o Oliveira do Hospital jogadores que tinha treinado no Tourizense e eles conseguiram-se adaptar muito bem às minhas ideias de jogo. Tivemos uma série muito positiva de 12 jornadas consecutivas somente a vencer”, referiu.

Em relação a próxima época André David, menciona que há algumas conversações com o Oliveira do Hospital, mas nada está definido. Contudo, o técnico destaca o desejo de poder treinar equipas que estão nos campeonatos nacionais, e tem a ambição de chegar à segunda liga. “Ainda estou em conversações com o Oliveira do Hospital, em relação a próxima temporada, mas nada está definido neste momento. Existe entre mim e o clube um bom sentimento, por isso agora é esperar que os campeonatos terminem e depois analisar os melhores projectos que venham a surgir. Mas efectivamente, gostava muito de ter a oportunidade de treinar um equipa do Campeonato Nacional de Seniores (CNS), que queira lutar pela subida à segunda liga do futebol português, seria um desafio aliciante”, frisou.

Sobre a sua passagem pelo Tourizense, onde deixou um trabalho deveras positivo e que foi muito referenciado pela imprensa desportiva nacional a quando do jogo da 5ª eliminatória da Taça de Portugal, André David afirma ter sido um experiência muito enriquecedora e onde foi possível lançar jovens jogadores para equipas da primeira liga. “O Tourizense é um clube que aposta muito em jovens jogadores para depois os transferir para os campeonatos profissionais. Como são os casos do Éder que agora está no Braga, bem como do Steven Vitoria quando se transferiu para o Estoril. Isso foi um dos grandes objectivos a que eu me propus, o de formar jogadores para depois os conseguir lançar no expoente máximo do nosso futebol nacional. Inicialmente, quando fui contratado pelo Tourizense, era para orientar a equipa de juniores. Peguei na equipa com 9 pontos em 9 jornadas e consegui leva-la à fase de subida. A Direcção viu o trabalho que desenvolvi nos juniores, e deu-me a oportunidade de orientar a equipa principal do Tourizense, onde integrei alguns jogadores da formação e consegui o principal objectivo do clube que era nomeadamente a manutenção. Aos 26 anos assumi-me definitivamente com treinador principal de uma equipa de futebol. Em relação ao nosso trajecto na Taça de Portugal onde fomos eliminados na 5ª eliminatória pela Académica de Coimbra, foi um percurso fantástico, onde demonstramos que com jovens jogadores também de se pode desenvolver um futebol positivo e interessante”, atirou.

André David, aproveitou também para falar de Tó Ramos, Nuno Lima, Tozé Marques e Carlos Felisberto, técnicos que foram uma fonte de inspiração para abraçar a carreira de treinador de futebol. ” O Tó Ramos, no futebol foi como um pai para mim. Possibilitou-me uma enorme aprendizagem. É um excelente profissional.  Ao professor Tozé Marques gostava de lhe agradecer a oportunidade que me deu de puder trabalhar com ele ao serviço do SC Régua, bem como ao Carlos Felisberto no SC Vila Real, são duas pessoas fantásticas e excelentes conhecedores sobre a realidade futebolística da nossa região. O Nuno Lima foi meu professor na UTAD, quando me licenciei em desporto e na altura ficamos com uma grande amizade. Ainda me lembro, quando nos intervalos corria atrás dele para tirar duvidas sobre metodologias de treino. Mas continuo acompanhar o trabalho de todos eles como sempre o fiz”, concluiu.

 

Deixar comentário

Comentário