Cerca de 20 mil pessoas estiveram na pista automóvel de Montalegre na abertura do Campeonato do Mundo de Rallycross

A pista automóvel de Montalegre transformou-se num verdadeiro santuário para os amantes da velocidade. A estreia do Campeonato do Mundo decorreu sob rodas para enorme satisfação da organização. Um fim de semana «escaldante» que galvanizou cerca de 20 mil pessoas. O presidente da Câmara Municipal, Orlando Alves, classifica o evento como «um momento de afirmação de Montalegre no Mundo».
O triunfo histórico de Petter Solberg, na prova rainha do Campeonato do Mundo de Rallycross, foi a cereja no cimo do bolo no fim de semana vivido na pista automóvel de Montalegre. A organização passou com distinção o que leva a crer que nos próximos anos o Mundial de Rallycross pode ser uma realidade em terras barrosãs. A representar toda a estrutura, o presidente da autarquia, Orlando Alves, refere que «o balanço é extraordinariamente positivo». Para o edil «foi um momento de afirmação de Montalegre no Mundo e altura de dizer que valeu a pena todo o percurso feito até aqui. Valeu a pena a aposta feita para a promoção e concretização deste espaço desportivo. A realização da primeira prova do campeonato do Mundo reforça a ideia de que valeu a pena pensar neste investimento».

«AGORA É PRECISO COLHER DIVIDENDOS»

Orlando Alves não escondeu o entusiasmo pela moldura humana que desaguou na pista automóvel. Uma vitória em toda a linha, à custa de trabalho e do muito investimento que a autarquia vem a realizar há mais de uma década. Segundo o presidente da Câmara, «agora é preciso colher os dividendos deste trajeto e também aperfeiçoar, ainda mais, aquilo que tem que ser aperfeiçoado». Temos consciência, reforçou, «que a partir do momento em que toda esta visibilidade é dada a Montalegre começam a aparecer os “especialistas” em morder os calcanhares de quem tem boas ideias, na tentativa de derrubar esta iniciativa e património nossos. Temos que estar atentos, fazer aquilo que tem que ser feito, porque ao menor deslize há a tentação de nos sacudirem».

«VALEU A PENA!»

Empolgado, Orlando Alves sublinhou que todo o trabalho «valeu a pena», para de seguida felicitar «todos aqueles que se envolveram em tudo o que aqui está». A concluir, afirmou: «Montalegre é capaz de fazer bem quando acredita nas coisas e quando a elas se dedica de alma e coração».

OPINIÕES

David Teixeira
(Vice-presidente Câmara Municipal de Montalegre)
«Podemos dizer que foi um fim de semana escaldante, não só no calor mas na organização. Sabe bem chegar ao fim com o objetivo cumprido e superado. Tivemos cerca de 20 mil pessoas. As bancadas estiveram todas cheias. Montalegre conseguiu afirmar-se não só no país, mas também na senda internacional. Está comprovado que o investimento na pista automóvel de Montalegre é para continuar. Espetadores fieis a Montalegre que querem, cada vez mais, condições para que este desporto se continue a afirmar».

Jorge Fonseca
(Presidente Clube Automóvel de Vila Real)
«Foi uma honra termos esta prova, principalmente da maneira que ela decorreu. Tudo correu conforme o previsto. Há sempre imprevistos que podem surgir, mas felizmente tudo correu bem. Penso que Montalegre e o Clube Automóvel de Vila Real estão de parabéns».

José Pedro Gomes
(Barrosão, antigo piloto)
«É um sentimento de muita alegria e ao mesmo tempo de muito descanso. Foi uma aposta arriscada, pouca gente acreditava no sucesso que isto podia ter. Temos que dar o valor à Câmara, aos montalegrenses e a todos os barrosões. Ser a primeira prova do Campeonato do Mundo, correr tão bem como correu e ser ganha por um ex campeão do Mundo foi ouro sobre azul. Estou muito contente e tenho cada vez mais orgulho na minha terra. Isto vai crescer mais, certamente. Há algumas arestas a limar: não há erros, mas há melhoramentos que podem ser feitos. Os pilotos foram bem recebidos. A noite de sexta foi muito importante. Uma aposta forte de marketing e retorno para a publicidade. Tenho a certeza que se vai falar mais de Montalegre agora do que se falou nos últimos 100 anos, a nível mundial».

António Eduardo dos Santos
(Presidente Bombeiros de Montalegre)
«Penso que foi, de facto, uma prova espetacular. A nível de público foi o ano que teve mais gente. Nós, a nível dos bombeiros, penso que estivemos à altura do acontecimento. Foi uma responsabilidade muito grande, estávamos com algum receio, mas preparamo-nos devidamente. Acredito que estivemos à altura, tudo correu muito bem. Estiveram envolvidos cerca de 70 elementos. A nós juntou-se uma corporação de Chaves, que quis ajudar-nos, sem esquecer os bombeiros de Salto e de Valpaços. Não houve nenhum incidente, mas se acontecesse algo grave nós estávamos preparados para isso».

Padre Fontes
(Pároco)
«Somos os heróis capazes de ganhar todas as batalhas. Em tempos, ganhámos o Campeonato Mundial de Parapente. Este ano ganhámos o Campeonato Mundial de Rallycross. Resta agora esperar por outro campeonato mundial, talvez de pesca, pela imensa riqueza que temos para a prática dessa modalidade. Com esta iniciativa, Montalegre subiu mais alto que o Larouco. Esta prova trouxe muito impacto. Foi um chamariz enorme e, durante três dias, muita gente esteve pelo concelho. Foi a oportunidade de testemunhar a qualidade da pista, da paisagem. Faço votos que esta multidão regresse e que traga mais gente».

Deixar comentário

Comentário

1 COMENTÁRIO

  1. sou de paços de ferreira e durante uns anos fui comissário de pista, principalmente na pista da costilha em lousada, fui estriado numa prova do campeonato da europa, ainda montalegre só fazia o campeonato nacional. No dia 4 do cerrente mês assiti ao primeiro mundial e logo em montalegre, uma terra de gosto bastante. Gostei imenso da prova. Por isso dou os meus sinceros parabéns a todos os intervenientes na sua organização. Continuem….val a pena….

Comments are closed.